Prana Filmes

Legalidade

Legalidade

(Longa-metragem, 2018)

Em 1961, o governador Leonel Brizola lidera um movimento sem precedentes na história do Brasil: a Legalidade. Lutando pela constituição, mobiliza a população na resistência pela posse do presidente João Goulart. Em meio ao iminente golpe militar, uma misteriosa jornalista pode mudar os rumos do país.

 

Créditos
Direção: Zeca Brito
Roteiro: Leo Garcia e Zeca Brito
Produção: Luciana Tomasi
Montagem: Alfredo Barros
Diretor de Fotografia: Bruno Polidoro
Direção de Arte: Adriana Nascimento Borba
Direção de Produção: Glauco Urbim
Som: Gogó Conteúdo Sonoro

Elenco Principal
Cleo Pires (Cecília)
Fernando Alves Pinto (Luis Carlos)
José Henrique Ligabue (Tonho)
Leonardo Machado (Leonel Brizola)
Letícia Sabatella (Blanca)

 

Na Imprensa
“Desenvolvido desde 2011, o projeto teve pesquisas efetuadas pela produtora Luciana Tomasi e os roteiristas, que realizaram encontros com nomes como Carlos Araújo, Flavio Tavares, Alceu Colares, Juremir Machado, Juliana Brizola, Carlos Bastos, entre outros.”
(COLETIVA.NET, 12/05/2017)

“Produção da Prana Filmes, com previsão de estreia para 2018, Legalidade enfoca o triângulo amoroso entre personagens fictícios engolfados pelo turbilhão dos acontecimentos daqueles 14 dias. Fernando Alves Pinto, um rosto bem conhecido do cinema nacional, protagonista de Terra Estrangeira e Dois Coelhos, vive o antropólogo Luis Carlos, que disputa com seu irmão, o jornalista Tonho (José Henrique Ligabue), as atenções da correspondente internacional Cecília, interpretada por Cleo Pires. O personagem de Luis Carlos é uma das formas de o diretor ancorar, de modo simbólico, a história da Legalidade em um quadro maior de tensões da história nacional.”
(Carlos André Moreira, GAÚCHA-ZH, 22/05/2017)

“Nas madrugadas da capital gaúcha, o elenco grava o filme que promete revelar detalhes da campanha liderada por Leonel Brizola. A história será contada a partir de um romance fictício entre três pessoas: dois irmãos envolvidos com o movimento se apaixonam pela mesma mulher, uma jornalista estrangeira.”
(G1-RS, 23/05/2017)

“Estrelado por Cléo Pires, Fernando Alves Pinto e Leonardo Machado, o filme irá resgatar um importante episódio que marcou a vida política na segunda metade do século XX “no Brasil, combinando pesquisa e reconstituição histórica com uma trama ficcional.”
(Robledo Milani, PAPO DE CINEMA, 02/06/2017)

“ZECA BRITO: Na verdade, a primeira pessoa que eu e o Léo Garcia procuramos quando estávamos com o projeto pronto, foi a Luciana Tomasi, da Prana Filmes. Procurávamos uma produtora que pudesse contar essa história e levantar esse projeto, que a gente sabia que ia levar tempo para se concretizar. Primeiro pela complexidade da própria história, de sintetizar uma história real dentro de uma narrativa cinematográfica de 90, ou sei lá, 120 minutos, e também pela complexidade de se reconstituir uma época, que tem um custo e tal, e isso demandaria uma produtora que tivesse fôlego de encarar esse projeto por um longo tempo. Então a Luciana foi a pessoa que abraçou e levantou ele.”
(CULTURÍSSIMA, 02/07/2017)

“Em Porto Alegre, os atores Leonardo Machado (41), Cleo Pires (34), além de Fernando Alves Pinto (48), filmaram o longa-metragem Legalidade, que conta a história do movimento de mesmo nome, da década de 1960. A obra é dirigida pelo gaúcho Zeca Brito (30).”
(REVISTA CARAS, 14/07/2017)