Prana Filmes

Os Bichos de Gramado

By on August 25th, 2009

Os cineastas gostam de falar  mal do Festival de Gramado, mas eu não consigo não dar uma passadinha por lá porque sempre foi nossa primeira vitrine dos filmes, desde o super-8. Tenho um carinho histórico por ele e eu gosto do cheiro da serra. Desta vez, não estávamos competindo com nada, tínhamos apenas entrevistas, palestra em seminário, debate com Ancine, vários bons filmes para assistir, além de uma boa festa para discotecar.

Só conhecer "Corumbiara" já valeu a ida à serra. O indigenista Vicent Carelli deveria ganhar o Nobel da Paz por seu serviço de 30 anos na floresta amazônica. A montagem do documentário também é dez. A ótima produção gaúcha de baixo orçamento "Em teu nome", sobre a estória do militante Bona Garcia também agradou muito. O ator Leonardo Machado surpreende com sua ótima interpretação do Bona, que estava na platéia com toda sua família. O colombiano "Nochebuena" apresentou a engraçada atuação do comediante Matias Maldonado que levou o primeiro prêmio. Os colombianos estão filmando cada vez melhor.

Apesar de se perceber que o festival está muito mais pobre e com muita gente não comparecendo por causa da gripe, Gramado ainda consegue encantar muita gente. O País do Açucar ainda é lá, com seus ótimos chocolates e cafés coloniais. Se tu consome um café completo, chegando heroicamente até o balcão das tortas, tu pode hibernar por 3 dias que não vai sentir necessidade de comer. Para quem quer passar muito bem, o endereço continua sendo o Moscerino, com seu simpático chef Moschen (o Moskito) detonando cada vez mais nas panelas. Seu espaço Gourmet é de primeiro mundo, com opções vegetarianas e sobremesas originais. Quem quer passar muito, muito bem, e tem muita bala pra gastar, nada melhor que baixar uns quilinhos no Kur, agora com seu Espaço das Águas, com banhos de argila, mel, massagens com pedras e óleos.

Saindo do cinema para a jungle, fui conhecer o novo Zoológico de Gramado. Que surpresa! São bichos da fauna brasileira, com espaços muito bem arquitetados, com passeios entre os pássaros, ao lado de onças separadas apenas por vidros, macacos nas jaulas e uma reprodução do Taim com as capivaras a céu aberto. A vista lá de cima para o vale todo, ao por do sol, acho que deve ser a única no mundo dentro de um zoológico, exatamente na praça de alimentação. Este lugar vai bombar mesmo na serra. Não tem como fazer comparações com nosso maravilhoso zôo de Sapucaia, com toda aquela imensa área  verde, bichos de todos os continentes e com muitas onças enjauladas em micro-espaços por total falta de verba governamental. O zôo de Sapucaia está entre os mais lindos do mundo. Um oásis na BR enfumaçada, sempre cheia de bichos esmagados pelos carros. Em Sapucaia ainda não se esfolam Tigres-da-Sumatra como aconteceu hoje no zôo da Indonésia, para vender a pele. Outro dia em Sapucaia tive um encontro comovente com um elefante indiano como mostra a foto abaixo.

Voltei para Porto-Alegre-ainda-melhor, agora sem o susto dos prédios residenciais (espero que os comerciais também) na beira do Guaíba. Para quem ainda acusa a Não-construção de "impedimento ao progresso", é só ler nesta semana o resultado do progresso sem consciência, como por exemplo: a morte de 200 leões marinhos no mesmo dia por aquecimento no pólo, o incêndio em Atenas por secura de tudo, a falta de água na Índia, a morte do manifestante do MST com modernas balas de verdade e o Sarney e a Yeda se mantendo incrivelmente nos poderosos cargos. Vou andar de bicicleta lá no meu Pontal do Estaleiro. Andar de bicicleta é que é progresso!

Tags: